quinta-feira, 25 de março de 2010

Desse mal eu não morro!



Sempre haverão pessoas que, ou por incapacidade de alcançar o que desejam em seus caminhos, ou por incapacidade de valorizar o que conquistaram, trabalharão para destruir as outras, para diminuir, para semear um pouco de infelicidade onde só enxergam prosperidade.

Sempre haverão pessoas limitadas, incapazes de ver o sofrimento alheio, que supervalorizarão suas próprias dores, que colocarão pedras para os outros tropeçarem.

Sempre haverão intrigas, fofocas, mentiras. Sempre haverão palavras jogadas na reputação de uma pessoa de bem, com o intuito de manchá-la.

Sempre haverão pessoas que, incapazes de formar o próprio julgamento, se deixarão levar por palavras tolas e sem fundamento. Sempre haverão pessoas que, cegas pela própria estupidez, condenarão antes de julgar.

A felicidade momentânea com a desgraça alheia pode satisfazer esse tipo de pessoa. Mas após o momento de euforia, a amargura e a dor continuarão a roer as entranhas desses seres infelizes, que estarão prontos a fomentar mais misérias...

E assim caminha a humanidade, contaminada por esse verme arqueroso chamado INVEJA.

3 comentários:

Allice disse...

E sempre haverão pessoas felizes mesmo cercadas de pessoas pequenas ;)

Massa disse...

Amém!

Andressa Paixão disse...

E com o tempo que essas pessoas perdem atrapalhando as outras, elas podiam muito bem viver a vida delas de uma maneira mais saudável, e lutar para conquistar o que querem.