segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

O primeiro fio branco



Hoje encontrei meu primeiro fio de cabelo branco.
Claro que eu sabia que eles viriam, cedo ou tarde. E desejei que fosse mesmo tarde.
Na minha família eles costumam aparecer com 25, 26 anos. Às vezes até bem antes disso.
Logo não foi nenhum choque, nem surpresa.
Mas, claro, para nós mulheres os cabelos brancos tem um significado além da vaidade...
Por que nós simplesmente pifamos biologicamente com o passar dos anos. As mulheres pagam um pouco caro por toda a fertilidade e vitalidade dos anos de juventude com a paralização hormonal e genética.
Nossos ossos enfraquecem e nosso viço murcha, perceptivelmente, até se apagar como uma chama.
Por que os homens continuam férteis até o fim da vida, mesmo perdendo todos os cabelos? Por que eles são como o vinho, só aprimoram com o tempo? Por que um homem grisalho é charmoso e uma mulher grisalha é VELHA?
Claro, não pretendo ficar grisalha. Hoje em dia, e mesmo há séculos, temos o recurso da cosmética que permite que haja um disfarce para o que não tem remédio.Há relatos históricos da antiguidade, que narram como as mulheres utilizavam a henna para pigmentar seus cabelos brancos.
Em algumas culturas, a maturidade é respeitada e admirada. Mas não no meu mundo onde os rígidos padrões capitalistas de beleza regem nossa sanidade: ou nos enquadramos ou nos colocamos à margem.
Mas algumas mulheres corajosas e que estão se cagando para esse tipo de imposição social andam assumindo seus cabelos brancos sem neuras e sem L´oreal, suas rugas com orgulho sem desespero por botox, e continuam inexplicavelmente (e talvez por isso mesmo, obviamente) belas e admiradas.
Nunca parei para pensar como gostaria de envelhecer. Talvez porque quando se é jovem, a palavra envelhecer parece algo como a distância entre a Terra e a Lua, ou seja inimaginável.
Mas esse fim de semana eu estava sem maquiagem, o cabelo enrolado e preso de qualquer jeito, acredito que com olheiras por ter passado mal a noite, e por isso indesejável na minha cabeça, quando conheci um rapaz que, durante toda a nossa conversa, foi ostensivamente galanteador, ora elogiando meus lindos olhos, ora comentando como eu tinha o corpo bonito (a namorada dele é norueguesa, logo, deu para entender o que ele quis dizer quando relacionou o meu "corpo bonito" ao fato de eu ser brasileira), ora incapaz de desviar o olhar enquanto eu falava...

Então descobri como eu quero envelhecer: ligando o foda-se. Não me preocupando exageradamente com minha aparência, só o suficiente para me cuidar e me sentir bem - de dentro para fora.

2 comentários:

Andressa disse...

È isso aí, Nanda!!!
Envelhecer sem neuras e em paz consigo mesma.
Quanto mais neuróticas ficamos em relação à aparência, pior nos sentimos quando algo sai do lugar. E tudo um dia sai do lugar.
beijocas querida!

Sophie Neveu disse...

é isso mesmo Andressa e quanto mais neuróticas ficamos mais rápido envelhecemos!!! Viva as fases da vida com naturalidade e vitalidade (tipo auto-ajuda haha)