quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Chupa que é de Uva

Verãozão em alta e a moçada lotando as academias de ginástica em busca de ajeitar o corpito para os biquínis.

Eu, que decidi esse ano (como decido todos os outros, mas nunca consigo pôr em prática) ser mais que uma mente brilhante, me matriculei toda empolgada...
O único problema é que quando a gente começa o caminho da mente, é difícil se desvencilhar dele, como já disse e bem dito um grande amigo meu (desculpe Enrico, é a milésima vez que o estou plagiando no meu blog...)

Mas tomada a decisão, bora pra academia!

Não é só o verão, é também o carnaval à vista. Todo brasileiro sabe que só tem uma opção no carnaval, não importa como ele decida passar seus quatro dias de feriadão: tem que ouvir axé e samba, por que é só isso que toca em todos os lugares. E não adianta achar que pode se livrar disso, a menos que tenha um bunker onde ser esconder.

Pensando nisso, me arrisquei na aula de Axé.

O que eu entendia por aula de axé: uma aeróbica bem puxada com músicas da Ivete Sangalo, Daniela Mercury e nó máximo Chiclete com Banana, são os axés que eu conheço.

Mas para meu desespero, não é nada disso.

O professor é uma figura completamente bizarra, usando uma camisetinha “mamãe sou forte”, calça de tectel (um dia falarei da minha ogeriza de calças de tectel), cabelo espetado com luzes.

Os alunos, uma sucessão de figuras estranhas... Na maioria mulheres, fiquei na dúvida se não estava no concurso para loira ou morena do tchan, ou ainda, seleção para a “gata molhada” do Gugu... Tops com barrigas de fora, calças mega coladas e piercings no umbigo (um dia falarei da minha ogeriza de piercings no umbigo também...), sendo que nem todas tinham o físico de uma Sheila Mello (nenhuma pra ser exata). Elas tinham tatuagens de “Renato For ever” ou “Digão, sou sua”. Também sobre o visual daqueles seres, vale lembrar que a maioria das moreninhas não se atinou para depilar as pernas, descolorindo os pelos com água oxigenada e os deixando laranja, que em contraste com a pele ficava aquela beleza!

Nesse ambiente sofisticado, eu fiquei tentando me convencer: pensa no benefício, Fernanda, pensa na sua bunda dura, pensa nos músculos enrijecidos agradecendo...

Mas quando a música começou a tocar, entrei em pânico! O que aconteceu com “e vai rolar a festa, vai rolar”, da Ivete, ou “a cor dessa cidade sou eu, o brilho dessa cidade é meu", da Dani? No lugar disso começou a tocar uns ruídos que eu nunca ouvi antes na vida, eu que me achava tão “pop larizada” com todos os ritmos do mundo...

E o povo começou a dançar... Aquelas coreografias tipo bota a mão no joelho, dá uma reboladinha! Fiquei como um piru, correndo de um lado para o outro tentando acompanhar a massa requebrante. E quando tinha que de fato rebolar? As bundas de todo mundo iam no teto e voltavam ao chão e eu só conseguia abrir as pernas e mexer os ombros da forma mais desengonçada que existe!

O professor dizia: vá para a direita, e eu indo para a esquerda, completamente louca, trombando nos coleguinhas...

Na metade da aula, desisti. Senti-me completamente patética, ali, tentando fazer aqueles movimentos impossíveis e nada glamourosos do axé...Mas nem consegui sair à francesa, saí fugida, correndo, atropelando.

Então percebi que não adianta ir contra a natureza. Depois dessa experiência reveladora, lembrei porque eu não gosto de axé. O caminho da mente é mesmo irreversível.

Para quem não entendeu o título, vide vídeo abaixo.

4 comentários:

Danielle Luciano disse...

Nanda, lendo seu post me enxerguei na aula de axé também! Eu assim como você me arrisquei a frequentar uma aula dessas...hahaha...exatamente igual a sensação e o sentimento de "onde fui me meter". kkk! Não rendi 2 aulas. abandonei! Mas isso já tem um tempo. Esse ano aind anão tomei rumo. tô precisando demais!
Beijoka!Adorei seu telefonema!

Danielle Luciano disse...

Amiga, lancei uma brincadeirinha lá no blog das Luluzetes, sobre bolsa de mulher. Passa lá!
bjos.

Nanda Fala... disse...

Ah Dani, que bom o seu comentário, assim percebi que não sou a única a pagar mico no mundo...
Vou correndo pro buteco! Bjs

Menina MA disse...

kkkkkkkkkk!
Sem comentários! Se eu já morro de rir e me sinto uma pata em uma aula básica de ginástica localizada...