segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Uma Sra. presidente...

"Gostaria muito que os pais e mães de meninas olhassem hoje nos olhos delas, e lhes dissessem: SIM, a mulher pode!" Dilma Rousseff

Que o Brasil é um país de vanguarda, isso ficou mais uma vez óbvio. Um país que cresce em importância aos olhos do mundo acabou de eleger uma mulher para Presidente da República.

Dilma Rousseff tem uma história de vida bastante ativa politicamente, embora tenha sido divulgada sua "pouca experiência" no exercício de cargos públicos. Há aqui um terrível equívoco por meio dos eleitores e da imprensa. Exercer um cargo público, por si só, não constitui experiência política. Experiência política é estar participativo nos processos democráticos no país, lutar contra desigualdades e participar do diálogo que visa o bem comum. Nisso, Dilma dá um banho.  Como se não bastasse, presidiu o Ministério brasileiro mais importante, a Casa Civil.

Alvo de pesadas críticas e até acusações severas, vista com nariz torcido e imenso preconceito pela classe média brasileira, a candidata do presidente Lula conquistou a massa brasileira, que a meu ver, não se deixou manipular pela mídia das elites. Ofereceu seu voto à princípio relutante e no segundo turno, de bom grado, reafirmando a aceitação de um governo que ajudou a transformar o perfil do nosso país.

Foi extremamente emocionada que assisti ao primeiro pronunciamento da presidente eleita. Confesso que tenho muitas críticas ao governo Lula, e não sei muito bem o que esperar de Dilma. Claro que conforme um conhecido ditado, mais prudente é esperar pelo melhor, mas nos preparar para o pior. Mas considero sua eleição uma vitória para o Brasil, em muitos aspectos. Antes de ser uma vitória feminina, considero uma vitória do eleitorado de classes baixas, que é tido sem cultura, sem estudos, e por isso incapaz de votar. Vi pessoas analfabetas com discursos muito mais lúcidos que jovens universitários ao defenderem seus candidatos nesta eleição. O Brasil está começando a sair da escuridão política.

São ultrajantes afirmações do tipo "o Brasil vendeu seu voto pelo bolsa-esmola". Penso que quem é capaz de elaborar uma afirmação tão difamatória sobre o povo brasileiro não respeita o Brasil, e não considera a sua população e não tem o mínimo preparo para participar da evolução do país. Finalmente, o Brasil vota pelo Brasil, e não pelo interesse pessoal de uma minoria.

3 comentários:

Andressa Paixão disse...

Eu confesso que estava mesmo com medo do Serra ganhar. Acho que o Brasil perderia muito com ele no poder e fiquei super feliz com o resultado das eleições, Afinal, ninguém lembra, mas a pessoa que coordenou a CPI do mensalão foi ela, a nossa querida Presidente, e por favor, ela mandou muito bem. Apesar do divulgado na imprensa que ela não tinha capacidade e tudo o mais, acredito no potencial da Dilma, e apoio ela. Nunca o Brasil teve uma eleição que realmente fosse democrática visando o bem do país todo e não de apenas uma parte. Como você, também tenho umas críticas ao governo do Lula, mas não podemos deixar de notar que o Brasil cresceu muito nesses oito anos. A população tem mais poder de compra, e até a educação deu uma melhorada. Então parabéns para nossa primeira presidente. Ela merece,e sempre lutou muito por esse país.

sophie disse...

É uma dura verdade, existem muitos jovens pobres ou de classe média que insistem em defender os discursos da elite, e ficam dizendo essas pérolas... Vamos esperar... rsrs
Essa frase da Dilma em um país com raízes tão expostas e recentes de machismo, como o Brasil, tem um caráter de quebra incrível...emocionante mesmo.

Fernanda Fiuza disse...

Sim Andressa, a Dilma mostrou um perfil administrativo impecável e por enquanto, uma participação sem máculas na política brasileira. Ela é forte, incisiva e acredito que vai governar com um pulso firme. O gênero da razão pode ser o masculino, mas força e luta com certeza são substantivos femininos.