segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Fernanda no Limite da Razão


Algumas pessoas não acreditam em Deus.

Não estou aqui para criticá-las, não sou nenhuma beata de porta de igreja, na verdade detesto gente que vem pregar no meu ouvido e tentar me convencer de que sua crença é a mais certa. Não acredito que existe "crença certa". Acredito em Deus. Acredito no bem que ele causa em minha vida, e acredito que Ele seja uma fonte infinita de poder e amor. Vejo belíssimos ensinamentos filosóficos em diversas religiões, e colho um pouco de espiritualidade em todas elas. Acho que a fé é um pilar sem o qual seria difícil manter a sanidade num mundo tão cheio de dificuldades, sendo que essas dificuldades existem por diversos fatores muito complexos para que eu possa divagar sobre eles aqui.

Mas o fato é que sinto uma certa pena dos agnósticos, dos céticos e dos ateus. Obviamente que a ciência e a razão são os propulsores do desenvolvimento do mundo e da qualidade de vida do ser humano. Sem a razão, valores como igualdade, fraternidade e liberdade para todos os seres humanos não seriam perseguidos pelos homens. Sem a ciência, não compreenderíamos os fenômenos da natureza e não saberíamos como tirar proveito deles. Mas, como já dizia o filósofo, a razão sem a fé beira a loucura, assim como a fé sem a razão é cega.

Prova é que os grandes cientistas acreditavam em Deus. Quanto mais próximos eles ficavam da compreensão da natureza, mais eles se davam conta de que nada sabiam e nada poderiam compreender. Mas gênios que eram, vislumbravam que sua ignorância era ilimitada, e que a perfeição do universo só poderia ser explicada por uma força criadora. A que chamamos de Deus. E para qual cada um pode inventar seu próprio nome.

Há muitas razões para a fé. E muitas razões para a falta dela. Porém, quando não acreditamos em nada, penso que a vida se torna vazia e sem sentido. Imaginem que tudo o que criamos, sentimos e vivemos em nossa existência não tenha razão ou significado algum! E que tudo o que somos vai se tornar pó de estrelas... Cada pensamento nosso... cada alegria... cada pessoa que amamos... cada pôr do sol que assistimos...Imaginem que não exista nada em que se apoiar num momento extremo de dor e de desespero...

Sinto pena das pessoas que não podem contar com o consolo da fé... Sinto pena dos que não vêem quão sobrenatural é a beleza do mundo... e sobretudo tenho pena, muita pena, das pessoas que acham que podem alcançar todo conhecimento e que são autosuficientes... sem perceber quão frágil e maravilhoso é o simples ato de estar vivo...

2 comentários:

Andressa Paixão disse...

Sabe Nanda, teve um tempo em que eu não acreditava em nada... mas é tão desolador, que aos poucos eu comecei a acreditar em Deus e hoje vivo com a certeza de que ele existe.
As pessoas que não acreditam sao de dar pena. Como essas pessoas se consolam nas horas dificeis?!
Ou será que não se consolam?

Um beijo... e como sempre, você arrasou no post!

Old Bolsas disse...

Oi Fê, lendo seu post, lembrei-me de uma história que minha mãe me contava qdo. criança e estava passando por algum momento difícil. É mais ou menos assim: "Um famoso trapezista estava tentando encorajar um aluno a fazer acrobacia no alto de um trapézio de um circo, mas o rapaz não conseguia, pois o medo de cair não deixava. Foi então que o professor lhe disse uma das mais extraordinárias frases desta vida: "Rapaz, lance seu coração que é o símbolo da atividade criadora. Lance o seu coração sobre a barra." Isto quer dizer: lançai a fé sobre as dificuldades, lançai a essência espiritual do vosso ser sobre os obstáculos, que a parte material vos acompanhará. Então haveis de ver que os obstáculos não tinham tanta resistência assim."

Como não acreditar? Como não ter fé nos dias de hoje, não é mesmo!
Bjos!