quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Para mulheres que adoram Salão de Beleza



Se você é uma freqüentadora de salão de beleza é uma privilegiada! Nos tempos de hoje em que tudo anda tão caro, é mesmo difícil manter as nossas adoradas visitinhas regulares a esses templos da auto estima feminina. Mas se você é uma mortal como eu, que só vai ao salão quando tem um casamento, formatura, ou seja, uma vez na vida, outra na morte etc, provavelmente não é fiel a um profissional e vive na dúvida sobre quem procurar quando vai precisa de salão.




Sempre que acordamos com aquela vontade louca de mudar, e em nós mulheres isso acontece com muita freqüência, considere procurar um profissional bem recomendado, de preferência aquele que fez uma balaiagem perfeita em alguma amiga sua. Não corra para o salão caso a vontade de mudar aconteça pós rompimento com o parceiro, pós demissão do trabalho ou outro trauma psicológico qualquer. A chance de sair insatisfeita é muito grande, mesmo que o profissional tenha feito tudo o que você pediu. E outra, se você é insegura com mudanças radicais, nunca entre num salão morena e saia loura. Isso funciona para camaleoas como eu, que não se importam em mudar de cara como se fossem atrizes da Globo. Comece com umas luzezinhas aqui, um reflexozinho ali... consulte o espelho, veja se se acostuma e gosta... Vá mudando gradualmente.



Ao entrar num salão pela primeira vez, cheque o visual das atendentes e profissionais. Elas devem estar com o cabelo feito e as unhas embelezadas, limpas e vestidas corretamente, de preferência uniformizadas. É o mínimo que se espera de uma profissional da beleza. E o tratamento deve ser super profissional. Detesto lugares em que as pessoas me chamam de “querida”, “amiga” e blá blá blá. Também não gosto de salão onde se fala demais: fofoca enquanto tiram sua cutícula é um perigo...



Limpeza e asseio é fundamental. Cheque se escovas, pentes e qualquer coisa que se passa na cabeça das clientes é higienizado após cada uso. Alicates de unha e espátulas devem ser esterilizadas em auto-clave, que é aquele forninho de esterilizar de hospital. Não adianta aquele aparelhinho pequeno(do tamanho de uma caixa de sapatos) que se usa por aí. Se quiser levar o seu próprio alicate de unha, melhor ainda. Lixas, pauzinhos de laranjeira devem ser descartáveis, bem como plásticos que recobrem bacias onde os pés ficam de molho e toucas. Compre seu próprio esmalte e leve. Imagina passar o esmalte que trezentas mulheres-que-você-não-sabe-onde-enfiam-suas-mãozinhas já usaram antes de você?



Nunca deixem que passem coisas no seu cabelo ou pele sem te mostrarem o que estão passando. Cheque a marca e pesquise se é liberado pela Anvisa. Tudo bem que a gente é apaixonada pelos benefícios do formol, mas a abençoada escova progressiva é uma fórmula originariamente caseira, e o uso indiscriminado da substância é proibido por lei, pelo bem da nossa saúde (e mal dos cabelos rebeldes).



Peça o preço do serviço antes de sentar na cadeirinha giratória. O profissional deve avaliar seu cabelo, por exemplo, e dizer mais ou menos quanto custa o corte. Esses lugares são danados para dar o preço no final, depois que você já se empolgou e fez barba, cabelo e bigode. Aí não adianta reclamar!



Se o salão passar por todos estes testes, resta por último saber se os profissionais ali são espertos mesmo! Aí, só experimentando... Se você se apaixonar por algum, seja fiel para sempre. Cabeleireiro, manicure, depiladora e esteticista são como maridos: casou, deu certo, segura até morrer!

4 comentários:

Claudia Sousa Dias disse...

eu normalmente, só faço mesmo o corte e depois a tal escova prgressiva...que aqui em Portugal chamamos anglo-saxonicamente de brushing...


adorei o seu artigo.


csd

Danielle Luciano disse...

Ai, eu odeio salão!Morro de preguiça! Mesmo sabendo que corro o risco de sair linda de lá!! rsrs!! Sábado passado cortei minha franja e não gostei! Ai que raiva!!

Tive uma esperiência traumática com manicure uma veez... Ela conseguiu tirar "bife" em toooodoos os meus dedos das mãos...foi terrível. E acho que qto mais ela tirava, mais ela ficava nervosa, era novata a coitada. Adivinha se voltei nesse salão novamente??

Sophie Neveu disse...

Eu também morro de preguiça de salão. geralmente me produzo em casa. Ou no camarim but admiro mulheres q se cuidam. Obrigada por seu coment lá no meu blog. =)

Andressa disse...

boom, eu também morro de preguiça...e da última vez que fui ao salão, a manicure acabou com o meu pé e com as minhas mãos. depois disso comecei a fazer as unhas em casa mesmo, além de mais higiênico, eu posso ficar testando os esmaltes e tirando quantas vezes eu quiser...para pintar as minhas madeixas eu revezo com a minha sogra, eu pinto o dela, ela pinta o meu. Assim não tem chance de alguém passar nada no meu cabelo que eu não vá gostar.
Basicamente só vou ao salão para cortar o cabelo...o que acontece uma vez ao ano.
bjokas!!!