segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

A Rede Social


Não gosto muito de resenhar sobre filmes, não sou uma grande cinéfila apesar de amar cinema, não sou boa crítica, já que não acompanho as temporadas de lançamentos com tanta avidez quanto gostaria. Cinema é quando tenho tempo, como lazer.


Mas que prazer quando consigo ver um filme bom! Assisti ao excelente A Rede Social ontem e tive que vir correndo escrever sobre essa experiência por dois motivos: primeiro, o filme é realmente bom, bem produzido, bem dirigido etc... Segundo por que a história me atraiu particularmente, por falar sobre minha rede social preferida o Facebook.

Alguns números sobre o Facebook ajudam a compreender a dimensão da importância dessa rede. Mais de 500 milhões (2 vezes e meia a população do Brasil) de usuários que juntos somam mais de 700 bilhões de acessos por mês. No Brasil as redes sociais são muito populares, tanto que o Orkut “pegou” por aqui por bastante tempo. O Facebook, por ter uma origem mais “elitizada”, era uma rede exclusiva para universitários de grandes escolas como Harvard, demorou um pouco mais para chegar por aqui, infelizmente. Mas chegou!

A façanha da idealização da rede por dois jovens estudantes de Harvard, que hoje estão bilhonários é a história do filme, baseada também no livro Bilhonários por Acaso. Mark Zuckerberg, um jovem brilhante mas falido socialmente, leva um fora da namorada e decide rackear o cadastro de alunos da maior universidade americana para debochar da garota. O feito chama a atenção de um par de gêmeos mauricinhos e do seleto clube "dos populares" que têm a idéia da criação de uma rede social exclusiva para alunos de Harvard. Aqui entra minha opinião sobre os nerds que escrevi outro dia no post “Como conquistar um Nerd”. O personagem do filme é o típico garoto nerd que sempre quis fazer parte do clube dos populares, que fazem sucesso com as garotas e participam de festas exclusivas, mas nunca têm acesso a esse hall. Ajudado pelo amigo Eduardo Saverin, Mark pega a idéia e transforma na genial rede social.

A produção tem alguns clichês de filme high school, que sempre achei divertidíssimos. O roteiro é muito bom, a direção de David Fincher dispensa comentários. As interpretações dos atores novatos também estão bem legais. A participação de Justin Timberlake é uma surpresa agradável. O filme que tem pouca ação, mas prende pela inteligência e vivacidade dos diálogos, é um retrato fiel de uma geração capaz de absorver com avidez e rapidez instantânea as novidades da tecnologia, que se interessa por informação, em grande quantidade e não importando com a qualidade, e que se adaptou à interatividade virtual, sem convivência, para se relacionar.

Se você não participa de alguma rede social, se não está a par das notícias no momento em que elas acontecem, se não acessa a internet o tempo todo pelo celular e se não acompanha o desenvolvimento das relações interpessoais que usam o veículo virtual cada vez mais, será inevitável sair do cinema com a sensação de ter “perdido alguma coisa”. Para corrigir esse probleminha, comece elaborando seu perfil no Facebook
 e enjoy!

Nota da Fernanda: Gente tem homem bonito demais nesse filme! #prontofalei

Um comentário:

Andressa Paixão disse...

ahaahaha adorei a observação!
To querendo ver esse filme. me parece bem interessante.^^
valeu pela dica Nanda.
beijocas